CONSTRUÇÃO EDITORIAL — REVISTA IMÓVEL DESIGN / by Carta&Carta

 

A primeira edição da revista Imóvel Design, do Diário do Nordeste, foi lançada na noite de ontem (1º), no L’Ô Restaurante. Dedicada à cadeia produtiva do mercado imobiliário, aborda desde projetos, passando por construtoras, decoração e design. Ela “busca trazer à luz, com a maior diversificação possível, os atores e empresas que diariamente são parte do trade do negócio imobiliário”, afirma a editora Regina Carvalho. Numa conversa rápida com a repórter Marília Pedroza, falamos sobre o projeto gráfico-editorial da publicação: 

 

Como se caracteriza o projeto gráfico da revista? Em que se baseia? 
O projeto da revista tem no universo das obras em construção seu grande referencial. As linhas invisíveis que modulam seus conteúdos, organizam e fragmentam, permitem que o olhar do leitor seja dinâmico. Construímos, nas sequências de páginas, entradas para que a leitura não se perca, é como olhar algo em fase de construção, sem floreios, direto, assertivo.

Quais os pontos altos do projeto? Quero dizer, que matérias ou outras partes da revista merecem destaque?
A matéria de capa, que fala sobre o crescimento da cidade, esclarece bem o que é este projeto. Aqui é sempre uma resposta ao editorial planejado pela editora Regina Carvalho. Foi um trabalho constante construído a quatro mãos. Outro ponto alto são as entrevistas, elas possuem um ritmo diferente, um outro tempo de leitura.

Fale um pouco sobre a capa da publicação.
A capa foi resultado de uma mudança feita sobre um modelo mais formal. A gente já tinha tudo pronto, mas em algum momento sentimos que poderíamos explorar outro lado, outros "horizontes". A solução foi imediata, as mudanças sobre o primeiro momento que tínhamos desenhado foram muito práticas, quando olhamos sentimos que estava certo, que não precisava de mais. É sem dúvidas uma capa com um potencial de leitura mais interessante.

As linhas invisíveis que modulam seus conteúdos, organizam e fragmentam, permitem que o olhar do leitor seja dinâmico. Construímos nas sequências de páginas entradas para que a leitura não se perca. é como olhar algo em fase de construção, sem floreios, direto, assertivo.
 

O que os leitores podem esperar dessa publicação do ponto de vista do design?
Sobretudo uma leitura mais dinâmica, mas com momentos de pausa e respiro. Os leitores terão um conteúdo muito bem pensado e estruturado.

O que a publicação traz de diferenciais e inovação?
Traz uma expressão editorial muito contemporânea. A falta de uma serifa, em diversos momentos, faz com que o design esteja presente, sem estar. É um sentimento asséptico, limpo. É isso que dá ritmo e a deixa carregada de um DNA próprio.

Há algo mais que vale a pena ser destacado sobre a Imóvel Design?
A revista Imóvel Design não quer ser uma publicação genérica. A gente construiu um editoral com uma expressão muito particular. Essa decisão é um olhar para o futuro, por acreditarmos no seu potencial de expressão dentro desta área. O design tem muito mais a oferecer na gestão de conteúdos quando participa dessa construção, não só respondendo questões já estabelecidas. Ficamos felizes com o resultado e agradecemos pela confiança que se estabeleceu durante esses processos.

Noite de lançamento da revista Imóvel Design no L’Ô Restaurante

Noite de lançamento da revista Imóvel Design no L’Ô Restaurante